- Acadêmicos de Biomedicina e Radiologia realizam verificação da atividade proteolítica de enzimas

24/09/2019 Acadêmico

Na última quarta-feira (18), os acadêmicos do curso de Biomedicina e Radiologia da UNIASSELVI Polo Indaial – Vitória Régia realizaram mais uma atividade prática envolvendo a disciplina de Bioquímica Básica e Metabolismo, sob orientação da tutora Nathielli Nayara Pauleti.

A prática realizada pelos acadêmicos foi a número 8 do Manual de Práticas: Proteínas, Aminoácidos e Enzimas – verificação da atividade proteolítica de enzimas encontradas em frutos.

A atividade tinha como objetivos:

  1. Verificar a atividade proteolítica de enzimas encontradas em frutos;
  2. Estabelecer um comparativo em relação à ocorrência de proteólise nos diferentes frutos utilizados;
  3. Comparar os controles negativos e positivos aos resultados obtidos nos experimentos;
  4. Possibilitar a compreensão dos acadêmicos a respeito da importância das enzimas proteolíticas nos processos biológicos.
     

As enzimas são proteínas que apresentam uma cadeia longa de aminoácidos, tendo como função de destaque sua atividade catalizadora de reações. Certas enzimas têm a capacidade de romper as ligações peptídicas de proteínas, sendo chamadas de proteases. Essas enzimas proteolíticas podem ser encontradas em animais e vegetais. A bromelina e a papaína são enzimas proteolíticas encontradas no abacaxi e no mamão, respectivamente, e estão envolvidas nos processos de amadurecimento desses frutos.

A prática proposta nessa aula foi verificar a atividade proteolítica das enzimas presentes no mamão, no abacaxi e no morango, empregando-se a gelatina como substrato proteico.

Materiais utilizados: amaciante de carnes; cadinho e pistilo; fogareiro elétrico; geladeira; gelatina sem sabor; tubos de ensaio; pipetas volumétricas e seringas graduadas; espátula; faca; bastão de vidro; Béquer; canudos plásticos; caneta para vidro; abacaxi; mamão; morango.

O procedimento

Os alunos prepararam o suco das frutas a partir do maceramento delas, utilizando o cadinho e o pistilo. Após a primeira etapa, prepararam a gelatina, tomando cuidado para não a ferver perdendo sua capacidade de gelificação.

Com os materiais preparados, os alunos separaram em tubos de ensaio as seguintes amostras:

– Tubo de ensaio A: 10ml de gelatina + 3ml de água
– Tubo de ensaio B: 10ml de gelatina + 3ml de suco de mamão
– Tubo de ensaio C: 10ml de gelatina + 3ml de suco de morango
– Tudo de ensaio D: 10ml de gelatina + 3ml de suco de abacaxi
– Tudo de ensaio E: 10ml de gelatina + 3ml de amaciante de carnes dissolvido em água

Depois do preparo dos tubos, os alunos introduziram um canudo nas amostras e marcaram até onde o canudinho penetrava nos tubos (antes de gelificar, todos os canudos tocaram o fundo dos tubos). Em seguida, os canudinhos foram retirados e as amostras foram levadas à geladeira.

Após 20 minutos, o mesmo procedimento foi feito com os canudinhos e uma nova leitura foi executada pelos alunos. Onde o canudinho ainda conseguia penetrar, os alunos concluíram que continha enzimas proteolíticas. Na amostra onde o canudinho não penetrou, concluiu-se que não possuía enzimas proteolíticas. Os resultados foram discutidos em grupo.


Nós utilizamos cookies para viabilizar e melhorar a sua experiência em nossos sites, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao acessar o site da Uniasselvi, você; concorda com o uso dessa tecnologia.